Whatsapp

(11) 9 9739-5404

Ligue para nós

(11) 2822-9612

Ligue para nós

(11) 2836-6065

Whatsapp

(11) 9 9739-5404

Ligue para nós

(11) 2822-9612

DESENTUPIDORA NA CASA VERDE ALTA , CASA VERDE MEDIA , BAIXA /CASA VERDE 98776-7059

DESENTUPIDORA NA CASA VERDE ALTA , CASA VERDE MEDIA , BAIXA /CASA VERDE 98776-7059

Casa Verde é um bairro do distrito de Casa Verde, na Zona Norte do município de São Paulo, no estado de São Paulo, no Brasil. Tradicional bairro de sambistas, é famoso por ser o bairro das escolas de samba Império de Casa Verde, Morro da Casa Verde e Unidos do Peruche. Foi fundado em 21 de maio de 1913. É um bairro residencial de classe média. A Casa Verde possui fácil acesso ao Centro e à Zona Oeste da cidade através das pontes da Casa Verde e do Limão, além de fácil acesso ao Terminal Intermodal Palmeiras-Barra Funda e ao Terminal Rodoviário Tietê. Índice 1 História 2 Infraestrutura e Serviços 3 Curiosidade 4 Referências História O velho sítio da Casa Verde, que já fora propriedade do aclamado “rei” Amador Bueno (em 1641 pelos espanhóis residentes em São Paulo) e que posteriormente passa ser propriedade do militar José Arouche de Toledo Rendon, descendente de Amador Bueno. Foi nessa época pelo que consta em documentos do arquivo histórico do municipio que a região acaba por ser conhecida popularmente como “sítio das moças da casa verde” e sítio da casa verde. Em 1842 João Maxweel Rudge torna-se proprietário da área da margem direita do Tietê; seus herdeiros em 1913 lotearam a área onde pretendiam criar o bairro como “Vila Tietê”. O empreendimento é bem-sucedido. O nome, no entanto, não resiste a força popular das histórias do sítio das moças da Casa Verde. O desenvolvimento é lento só acelerado no ritmo que os benefícios chegam no bairro (a construção da ponte de madeira, chegada do bonde, a luz elétrica, a construção da igreja, o distrito de paz…). O bairro cresce, a cidade cresce. Hoje, uma megalópole.[1] Por causa do Aeroporto Campo de Marte em Santana, até os anos 1980 eram poucos os prédios existentes no bairro. Após uma revisão do comando da Aeronáutica, houve uma liberação de uma parte da faixa proibida e a Casa Verde começou a se verticalizar. No ano de 1927 foi criada a Paróquia de São João Evangelista da Casa Verde.[2] Uma praça do bairro (Praça Centenário) Panorama da Casa Verde Infraestrutura e Serviços A Casa Verde conta com uma boa infraestrutura de transportes, possuindo amplas avenidas, das quais se destacam a Avenida Engenheiro Caetano Álvares e a Avenida Braz Leme. Há também um grande número de residências, escolas públicas e particulares e variados serviços. É vizinho de importantes bairros, como a Vila Baruel, Vila Bandeirantes, Jardim São Bento, Jardim das Laranjeiras, Barra Funda, Santana e Bom Retiro. Tem, como principais instituições de ensino, as escolas particulares Colégio Augusto Ramos, Colégio Dr. Bernardino de Campos, Colégio Nova Visão, Colégio Novo Tempo e as escolas públicas Benedito Tolosa, EMEI Abelardo Galdino Pinto Piolin e EMEF Dona Angelina Maffei Vita. Curiosidade Em 1975, o bairro serve de cenário à novela A Viagem, escrita por Ivani Ribeiro, produzida pela Rede Tupi e exibida de 1º de outubro de 1975 a 27 de março de 1976, às 20 horas, em 141 capítulos. As principais cenas foram gravadas na Praça Centenário. Em 2013, o bairro serve de cenário à telenovela Sangue Bom, da Rede Globo. Referências «Histórico – Portal da Prefeitura da Cidade de São Paulo». www.prefeitura.sp.gov.br. Consultado em 8 de março de 2016 http://arquisp.org.br/regiaosantana/paroquias/paroquia-sao-joao-evangelista/matriz-paroquial-sao-joao-evangelista [Esconder]vde SP -São Paulo – Zona Nordeste de São Paulo – Subprefeitura da Casa Verde/Cachoeirinha Cachoeirinha Campo da Água BrancaJardim AntárticaJardim CeciJardim CentenárioImirimJardim Nossa Senhora da ConsolataJardim PeriJardim Peri NovoJardim Santa CruzSítio Casa VerdeVila AmáliaVila AngélicaVila Bela VistaVila CachoeirinhaVila CelesteVila ContinentalVila DionísiaVila Nova CachoeirinhaVila Paulo RaveliVila PitaVila RoqueVila Vista AlegreVista Alegre Casa Verde Casa VerdeCasa Verde BaixaCasa Verde MédiaImirimJardim das LaranjeirasJardim GuanandiJardim IbériaJardim RossinJardim São BentoJardim São DomingosJardim São MiguelJardim S KemelParque PerucheParque Souza AranhaParque SamaritáSítio do MandaquiVila AnhembiVila BandeirantesVila BaruelVila BiancaVila CéliaVila EsterVila GouveiaVila MinosiVila RossinVila Vanda Limão Casa Verde AltaChácara Morro AltoConjunto Residencial Novo PacaembuJardim das GraçasJardim MarinaJardim Pereira LeiteJardim PrimaveraJardim São LuísJardim Sítio do MorroJardim TaborLimãoSítio do MorroVila BarbosaVila CarboneVila CarolinaVila Cristo ReiVila DivaVila EspanholaVila MarisbelaVila PradoVila Santa MariaVila SantistaVila Siqueira Categoria: BairrosNos meados do século XIX, um sitio na margem do rio Tietê levava o nome da Casa Verde, e o nome passou para o bairro que ai se formou. O sitio era propriedade de José Arouche de Toledo Rendon, que cuidava de suas sete irmãs solteiras, moradoras de uma casa com janelas verdes na esquina da rua do Rosário com o beco do Colégio. Elas eram conhecidas como as meninas da Casa Verde. A família passava os fins de semana no sítio e acabaram levando o apelido para a propriedade. O povo logo se acostumou a usar o lugar como referência: “perto do sítio das meninas da casa verde”, “passando a Casa Verde”, etc. O nome pegou e nunca mais saiu. Nos primeiros anos da vila paulistana havia uma fazenda depois repartida em sítios e chácaras, pertencentes ao lendário Amador Bueno e sua esposa, dona Bernarda Luís Camacho. As ricas terras abrigaram grandes trigais nos anos de 1600, e em outros tempos receberam imensas plantações de chá e de café para finalmente ter videiras plantadas por João Maxwell Rudge. No decorrer dos tempos uma grande parte dessas terras ficaram com os Rendon, até que, em 1857, a área foi comprada por Francisco Antônio Baruel ( pai do famoso farmacêutico). Em seguida foi adquirida pelo tenente coronel Fidélis Nepomuceno Prates. Uma empresa recebeu as terras como pagamento de dívidas e, finalmente, em 1882, o sítio foi vendido a João Maxwell Rudge. Anos mais tarde, em 1897, seus herdeiros decidiram lotear as terras da Casa Verde e ai criar um bairro com o nome de Vila Tietê. Mas esse nome não pegou, e o povo continuou chamando o lugar de Casa Verde. Dessa forma, no correr dos anos, o grande sítio acabou virando um amontoado de pequenos bairros, todos com a mesma origem e história e quase com o mesmo nome, com Casa Verde Alta, Casa Verde Média, Casa Verde Baixa. A Casa Verde acabou por tornar-se um distrito da capital, espremido entre Freguesia do Ó e Santana. A propósito: os nomes das sete meninas da casa verde eram Caetana, Joaquina, Gertrudes, Pulquéria , Ana Teresa, Maria Rosa e Reuduzinda. Estranhamente todas ficaram solteriras. Quando velhas ainda eram chamadas de meninas da Casa Verde, o irmão das sete meninas, José Arouche de Toledo Rendon, era uma das principais figuras do inicio do Império. Nascido em São Paulo, 1756, era de família rica, estou em Coimbra e após seu retorno a São Paulo iniciou uma vida de muitas profissões. Trouxe cultura do chá para a capital. No Sitio da Casa Verde plantou café (foi o primeiro exportador brasileiro); foi militar, ficando conhecido como o marechal; e participou de diversas batalhas. Foi também o primeiro diretor da Faculdade de Direito de São Paulo Rendon repassava integralmente seu salário de diretor para as obras da Santa Casa.

Está gostando de nossos artigos, compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp
  •  Rua Glauco Velasques, 285, Casa Verde
  •  (11) 2822-9612
  •  (11) 2836-6065
  •  (11) 98776-7059
  •  (11) 9 9739-5404
  •  Rua H, 38, Parque Vera CRUZ
  •  (12) 3674-3511
  •  (12) 99149-0615
  •  (11)98776-7059

Projetos realizados

%d blogueiros gostam disto: